Mulheres & homens: quem, no casal, “bate” mais ... - Informativo nº 2

“Mulheres batem mais em briga de casal, indica pesquisa” (O Estado de S.Paulo Online)
“Mulher bate mais em briga de casal, indica pesquisa” (OESP e
Agência Estado)
“Mulheres agridem mais do que os homens, diz estudo” (Abril.com)
“Mulheres são mais agressivas” (Diário do Nordeste – Fortaleza/CE)
Mulheres batem mais do que os homens nas brigas conjugais” (Folha Online/SP)
Mulheres batem mais do que os homens nas brigas conjugais, mostra pesquisa” (
Rádio Grande FM 92,1 – Dourados/MS) 

Estes são alguns, dentre vários outros veículos brasileiros, que deram destaque a uma das constatações do I Levantamento Nacional sobre Padrões de Consumo de Álcool no Brasil, divulgado em 29 de setembro.

“A análise, que será tema da tese de doutorado do psiquiatra Marcos Zaleski, envolveu a participação de apenas um parceiro(a) de cada um dos 1.445 domicílios abordados em 143 municípios brasileiros, entre novembro de 2005 e abril de 2006. O estudo foi coordenado pelo psiquiatra Ronaldo Laranjeira e pela psicóloga Ilana Pinsky, ambos professores da Unifesp”, detalhava a matéria do Portal Nacional Seguros, Resseguros, Saúde, Informática e TI, provavelmente uma das poucas (e não da grande imprensa) a dar ênfase a outro resultado: “38% dos homens e 9% das mulheres bebem antes de agredir companheiro”. 

As mulheres reagem com agressões leves, os homens, com agressões mais graves e violentas
A pesquisa também revelou que 5,7% das entrevistadas admitiram ter batido pelo menos uma vez em seu parceiro nos 12 meses anteriores à entrevista. No caso dos homens, o índice foi de 3,9%. "Foi uma surpresa. Todos imaginavam que o número de homens agressores seria maior que o de mulheres", disse Zaleski na ocasião.

As mulheres reagem mais em brigas de casal. A diferença é que as agressões delas contra os companheiros, mais constantes, são leves, como empurrões e tapas, e as deles, mais graves e violentas”, informavam jornais e sites, apesar dos títulos. Os resultados trazem um conhecimento maior sobre a relação direta da violência entre parceiros íntimos (VPI) e o consumo de álcool. Contudo, ao ler os textos, pode-se perceber que há outros fatores vinculados a este resultado. Ou, como apontou a chamada de outra matéria do Estadão, “Mulheres também batem nos maridos, mas são menos violentas”.

De acordo com o divulgado sobre a relação violência-álcool, o estudo constatou que as mulheres assumiram estar embriagadas em 9,2% das brigas com violência - homens disseram que suas parceiras haviam bebido em 30,8% dos casos. Eles admitiram ter bebido em 38,1% dos episódios de VPI, mas elas rebateram que o parceiro estava embriagado em 44,6% dos casos. “Vale destacar que apenas um dos parceiros foi entrevistado por domicílio, ou seja, os números não retratam os dois lados da mesma moeda.”

O médico explicou à imprensa que "a mulher se descontrola mais facilmente por inúmeras razões, inclusive a provocação do marido, enquanto os homens se descontrolam mais sob o efeito do álcool".

Importante: segundo, Zaleski, os números podem expressar certa subnotificação dos homens em relação à agressão e ao uso do álcool, mas isso é comum nos trabalhos científicos. "É o que chamamos de limitação de estudo. Não há instrumentos para medir se a pessoa está falando a verdade."  

Leia as matérias na íntegra
38% dos homens e 9% das mulheres bebem antes de agredir companheiro - Portal Seguros 30/09/08
Mulheres são mais violentas em brigas - O Tempo (MG) 30/09/08
Mulheres também batem nos maridos, mas são menos violentas - O Estado de S.Paulo 29/09/08
Mulheres batem mais do que os homens nas brigas conjugais, mostra pesquisa - Folha Online (SP) 29/09/08
Meninas também brigam - Correio Braziliense (DF) 29/09/08
Mulheres agridem mais do que os homens, diz estudo - Abril.com 29/09/08
Mulher bate mais em briga de casal, indica pesquisa - Portal Uai (MG) 29/09/08
Mulheres são mais agressivas - Diário do Nordeste (CE) 29/09/08

---Publicado pelo Informativo Portal Violência Contra a Mulher nº 2.